O Conselho Curador do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (CCFGTS) aprovou nesta quarta-feira (20/07), durante reunião em Brasília, novas regras que trarão mais folego para o mercado imobiliário. Dentre elas, a dilatação dos prazos para aquisição e destinação de recursos de operações com CRI (Certificado de Recebíveis Imobiliários) e Letras de Crédito Imobiliário (LCI), previstas na Resolução 798/2016. Além disso, foi permitido utilizar contratos já existentes como garantia. Com isso, R$ 6 bilhões que poderiam não ser usados em novos financiamentos agora poderão ser aplicados, no mínimo 80%, em imóveis novos, respeitado o direcionamento legal de aplicar 60% em imóveis populares. “Com isso, abre a possibilidade de mais crédito no mercado imobiliário a um custo acessível”, destaca o assessor técnico do Grupo de Apoio (GAP) do CCFGTS, Luís Fernando Melo Mendes. Também foi referendado o voto que remaneja recursos para a segunda faixa do pró-cotista (de R$ 225 mil a R$ 500 mil), que estava sem recursos e, por ter demanda, volta a operar.

 

 

Fonte: CBIC